Foto: Dorival Rosa/Portuguesa

Na marra, na garra, do jeito que o torcedor forjado no cimento da arquibancada gosta. Foi assim que a Portuguesa, que jogou com um a menos por 83 minutos e teve que se aguentar por 16 minutos com nove em campo, venceu o confronto direto com o Juventus, no Canindé.

LEIA TAMBÉM: Sérgio Soares valoriza entrega da Lusa e evita falar sobre arbitragem

O jogo desta quarta-feira é daqueles que serão contados aos netos por quem foi ao estádio como talvez a parte mais dramática de um cada vez mais palpável acesso. A empolgação é justificável, pois em sete jogos a Portuguesa já tem mais vitórias do que nas 15 rodadas da primeira fase da temporada passada (seis a cinco), quando se classificou na sétima colocação, com 22 pontos, só três a mais do que já somou quase na metade dos jogos disputados.

Seria motivo só de festa, como foi; de comunhão entre arquibancada e gramado, numa sinergia que há muito tempo, talvez desde 2011, não se via. E foi uma demonstração justa de carinho, confiança e apoio que, em condições normais, pode fazer a diferença a favor da Lusa lá na frente, quando o funil estreitar e começarem os mata-matas.

A camisa listrada da Lusa chegou na NETLUSA Store. Garanta já a sua pelo melhor preço e com frete grátis

E é, mas não só.

Trata-se de causa e efeito. O Canindé pulsa cada vez mais porque o time tem empurrado a torcida, que retribui e serve como mola propulsora para que o elenco se sinta motivado, capaz e feliz. Quem não reage assim após uma epopeia como a que vimos, não tem coração e alma, e, como diria Eduardo Galeano, as canchas têm alma sim!

Mas essa energia toda também foi gerada pela dificuldade que a própria Lusa causou ao perder dois jogadores de forma completamente despropositada. Tudo bem que na expulsão do Eduardo, a sopradora de apito poderia ter mantido o cartão amarelo, pois não ficou clara a intenção de pisar no adversário – o que ocorreu também no pisão que Daniel Costa tomou no tornozelo depois de ele mesmo ter dado um carrinho temerário numa disputa de bola -, mas a expulsão também cabia. A outra, do Luizão, não tem nem discussão.

“Grandes conquistas são forjadas na dificuldade”, há de dizer o mais entusiasmado, mas os obstáculos já são grandes o suficiente, como enfrentar fora de casa o Linense, segundo colocado, sem parte importante da base de sustentação do coeso time de Sérgio Soares, que conta com muita gente já no estaleiro. Além dos dois expulsos, o ótimo Marzagão recebeu o terceiro cartão amarelo – e andou de mãos dadas com o perigo durante boa parte do Derbi dos Imigrantes – e também não irá enfrentar o Elefante da Noroeste.

Vitórias podem maquiar alguns erros, mas é melhor que sejam detectados com os três pontos ganhos do que com a torcida maldizendo as próximas 10 gerações dos envolvidos ali, atrás do túnel dos vestiários. Se Fernando Pessoa disse que quem queria passar o Bojador deveria ir além da dor, essas são as dores do crescimento que a Portuguesa precisa sentir para voltar a ter a sua dimensão histórica. Só não precisa doer tanto.

Ouça, na voz de Gomão Ribeiro, o gol da vitória da Lusa sobre o Juventus:

* Marcos Teixeira, 43, é jornalista, lusitano e colunista do site Ludopédio.org

NETLUSA NAS REDES
Siga-nos no Facebook, Instagram, Twitter e YouTube!

14 comentários

  1. Concordo em tudo…. Parabéns pelo comentário… a torcida empurra o time porque o time “briga”, se desdobra nas dificuldades, tem garra como há muito não víamos… Ganhar e perder é do jogo, mas que seja sempre com muita luta.. É isso que queremos… Força LUSA!!!!

  2. Perfeito seu comentário ilustrou bem o que foi o jogo, mas por outro lado se formos ver a Lusa teve uma real chance de apliar o placar ,mas poderíamos ter sofrido menos VAMOS SUBIR LUSAAAASSAA

  3. Orgulho de ser LUSA.
    Eu que critiquei o planejamento e contratações duvidosas, estava ontem no canindé em êxtase !
    Comissão técnica e jogadores ….
    Obrigado por nos proporcionar o sentimento de querer ir ao estádio, levar a família e principalmente de ver a garra de vcs em defender nossas cores, que assim seja até o acesso .
    Vamos subir LUSA!!!!

  4. A expulsão do Eduardo Diniz é a deixa pra efetivar o Carlos Roberto. Além de jovem, marca melhor e tem uma velocidade absurda. Se bem trabalhado tem tudo pra ter uma brilhante carreira. Na torcida para ele jogar bem no Domingo e ganhar a confiança de todos.

  5. Esta é a LUSA q queremos com garra, muito espirito de luta grande vitória parabéns a todos os jogadores, comissão técnica e aos torcedores q compareceram, vibraram e empurraram o time para superar as dificuldades e conquistar mais esta vitória.
    Avante LUSA rumo a séries A. Presidente olhos bem abertos sempre tem alguém querendo nos prejudicar ( FPF e as arbitragem ).

  6. Daqui para a frente a Portuguesa é ainda mais o líder a ser derrubado. Os adversários virão cada vez mais motivados e a concentração tem que ser total. A presença da torcida deve servir como motivação mas o time não deve entrar no oba-oba do já ganhou. Se as coisas andarem assim e a pegada for mantida, a chance de sucesso é enorme, porque o time está com muita fome.

Atenção: este é um espaço para debate saudável sobre a Portuguesa. Respeite os colegas rubro-verdes do site. Ofensas são proibidas e o comentário não será publicado.

Please enter your comment!
Please enter your name here