Foto: Dorival Rosa/Portuguesa

A luta pelo acesso à Série C já começou para a Portuguesa. No último sábado (5), a Lusa enfrentou o Cianorte-PR, no Canindé, pela primeira rodada da Série D. A partida terminou empatada por 2 a 2 e marcou a estreia dos novos reforços contratados para a disputa da competição.

Um dos estreantes foi o atacante Matheus Serafim, que se destacou pelo Monte Azul na disputa da Série A2 do Campeonato Paulista e foi oficializado como novo reforço da Portuguesa na última semana.

LEIA MAIS:
Portuguesa anuncia a contratação do volante Marzagão
Lateral direito Lenon é o novo reforço da Portuguesa
Portuguesa recupera cinco troféus após mais de dois anos
Léo Coca destaca grandeza da Lusa e crê em conquistas na Série D

O jogador aprovou a sua estreia e projetou a sequência de jogos da Portuguesa. “Muito feliz por fazer a minha estreia pela Portuguesa. Busquei aproveitar a oportunidade da melhor forma, e acredito que conquistamos um ponto importante nesse primeiro jogo. As expectativas para a Série D são as melhores possíveis”, disse.

“Vejo a nossa equipe com potencial de conquistar grandes coisas, e chego pronto para ajudar. Vamos trabalhar bastante para fazer uma grande campanha em busca do acesso”, complementou.

A Lusa volta a campo pelo Brasileirão Série D neste domingo, às 15h, em confronto diante do Madureira-RJ, fora de casa. Como de praxe, o NETLUSA transmite com narração de Gomão Ribeiro.

*colaborou Gabriel Sá

Acompanhe o NETLUSA no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitch, Twitter e YouTube

3 COMENTÁRIOS

  1. Ainda é cedo pra avaliá-lo, mas, pelo vídeo que eu vi, acho que pode ser útil, tem bastante velocidade e se pega no mano a mano, joga a bola na frente e é difícil segurar, mas parece que na hora de passar ou finalizar, se atrapalha. Preciso ver mais pra formar uma opinião mais consistente, mas parece ser um bom jogador pra se ter no banco, pra pôr uma correria pra cima do adversário, ou pra puxar um contra-ataque, cheguei a pedir pra colocá-lo quando estávamos vencendo, mas precisava de um técnico que nem o Telê, que no começo da carreira do Cafu, que não acertava um cruzamento, fazia ele ficar repetindo por horas, até aprender.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here