O ex-volante Freddy Rincón, que defendeu Palmeiras, Corinthians, Santos e Cruzeiro no futebol brasileiro, morreu no início da madrugada desta quinta-feira (14), após um acidente de carro na última segunda-feira (11). Dentro de campo, o ex-jogador não passou pela Portuguesa, mas fora dos gramados a sua história cruzou com o Canindé.

LEIA TAMBÉM: Após acesso, Sérgio Soares mira conquista do título da Série A2

Em maio de 2005, um ano após se aposentar dos gramados, o colombiano investiu na Lusa através da sua marca de café, o Café Rincón. “Acho que é um negócio bom para as duas partes. A Portuguesa ganha um bom dinheiro por mês, e eu divulgo o Café Rincón para um público que trabalho com o meu tipo de mercadoria”, disse, à época, ao Estadão.

A marca ficou na manga da camisa durante a disputa da Série B. A Droga Verde, rede de farmácias, era o patrocinador master. O patrocínio da empresa de café, no entanto, durou pouco tempo. À época, a diretoria rubro-verde recamou de atraso no pagamento, o que culminou na rescisão do acordo.

Adquira aqui a camisa 2022 da Portuguesa com frete grátis

Naquela temporada, a Portuguesa chegou ao quadrangular final da segunda divisão nacional. No entanto, a Lusa perdeu o acesso no último jogo para o Santa Cruz. Aquele time tinha nomes conhecidos, como Celsinho e Leandro Amaral.

Acompanhe o NETLUSA no Facebook, Instagram, Twitter e YouTube

3 comentários

  1. Concordo com uma homenagem a Rincon,o patrocínio mesmo com o atraso,creio que deve ter ajudado naquele momento, confesso que não sabia dessa. história,grande jogador que descanse em paz

Atenção: este é um espaço para debate saudável sobre a Portuguesa. Respeite os colegas rubro-verdes do site. Ofensas são proibidas e o comentário não será publicado.

Please enter your comment!
Please enter your name here