Foto: Cristiano Fukuyama/Portuguesa

O presidente Antonio Carlos Castanheira e o gerente de futebol integrado Flávio Alves foram julgados pelo TJD (Tribunal de Justiça Desportiva) na noite da última segunda-feira, em audiência online.

A dupla foi enquadrada no artigo 258 (assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva nãotipificada pelas demais regras deste) e corria risco de suspensão de até 180 dias. No entanto, os dirigentes foram absolvidos por unanimidade.

Acompanhe o NETLUSA no Facebook, Instagram, Twitter e YouTube

O motivo para o julgamento ocorreu na vitória da Portuguesa por 1 a 0 sobre o Nacional, em 28 de novembro, na ida das oitavas de final da Copa Paulista. De acordo com a súmula do árbitro Alysson Fernandes Matias, aos seis minutos de jogo, o presidente Antonio Carlos Castanheira reclamou de um arremesso lateral contra a Lusa e gritou: “foi para nós o arremesso lateral, caralho, porra”.

Já no caso de Flávio Alves, o gerente discutiu com o goleiro do Nacional, Matheus Poletine, atrás de um dos gols do Estádio Nicolau Alayon, após a partida.

A Lusa se prepara para a estreia na Série A2 no dia 1º de março, segunda-feira, às 15h30, diante da Portuguesa Santista, no Estádio Ulrico Mursa. Clique AQUI e confira as datas dos jogos.

Parceiros

4 COMENTÁRIOS

  1. Só por causa de uma coisa banal se vai a julgamento. Lembrem-se que o Heverton foi expulso em 2013 após o final da partida e foi suspenso naquele julgamento armado por dizer ao juiz “Um minuto de desconto num jogo como este, porra? Tá maluco?”. Cabe suspensão ou expulsão??? Só para aqueles vermes. Está difícil… Com VAR, sem VAR, sempre dão um jeito de “ajudar os amigos” e “ferrar os opositores”. É uma sujeirada só!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here