Foto: Reprodução/Facebook

Vica falou pela primeira vez como novo técnico da Portuguesa. Em entrevista ao NETLUSA nesta quarta-feira, o treinador rubro-verde, anunciado na última terça-feira, revelou as suas características e o que pretende fazer à frente do clube do Canindé.

O ex-comandante de Santa Cruz, Botafogo-SP, entre outros, garante que a sua equipe terá uma postura ofensiva e que busque a perfeição dentro de campo.

“[Quero] um time que vai buscar o ataque a todo momento. Um time ofensivo, organizado dentro de campo e que vai buscar a perfeição. Procuro isso. Quero um time ofensivo, mas que não se descuide da marcação, que tenha um sistema defensivo forte”, disse.

A estreia de Vica está marcada para este domingo, às 17h, quando a Portuguesa enfrenta o Taubaté, no Estádio Joaquim de Morais Filho, em Taubaté. O NETLUSA acompanhará todos os lances através do tempo real.

Confira a entrevista completa:

NETLUSA: Como foi o acerto?
Vica: O pessoal me ligou na segunda-feira, às 18h. Foi tão rápido que às 22h eu já estava viajando para São Paulo. Moro em Araraquara. Peguei o carro, passei em Piracicaba para buscar o meu auxiliar (Rubén Furtenbach, o Gringo). Chegamos às 3h e nos apresentamos ontem (terça-feira). Fiquei feliz pelo convite, independentemente da situação. Eu já havia recusado uns três convites para voltar a trabalhar no Nordeste, mas quando surgiu a Portuguesa, eu aceitei, porque é um clube grande e com estrutura.

NETLUSA: Já sabe as carências do elenco? Já viu o time jogar?
Vica: Conheço um pouco. Quem está mais por dentro é o meu auxiliar, porque ele estava no XV de Piracicaba e monitorava os clubes. Fica mais fácil. Eu conheço alguns jogadores que já foram meus atletas ou que já enfrentei.

NETLUSA: Busca reforços? Indicou algum atleta?
Vica: Conversamos com o presidente e os diretores. Trocamos algumas ideias, falamos sobre alguns nomes que a diretoria me passou. Gostei dos nomes e dei carta branca para tentar essas contratações. Não gostaria de passar o nome e nem o nome. Vou deixar para o presidente passar, porque não tem nada fechado. Mas deixei claro que tem que contratar jogador de nível bom e que venha para jogar. Não pode ser aposta. Mas se não der, vamos tentar recuperar alguns atletas. Não indiquei ninguém, mas aprovei os que foram indicados.

NETLUSA: Como levantar o moral dos jogadores?
Vica: Temos que colocar em prática dentro de campo uma nova metologia de trabalho, uma outra maneira de jogar. Não vou falar quais, mas a gente pretende fazer mudanças, principalmente no desenho tático do time.

NETLUSA: Já esteve em situação semelhante como a da Lusa?
Vica: Semelhante foi no Santa Cruz, quando subimos da Série C para a Série B, em 2013. É um clube grande, assim como a Lusa, e que não vencia fora de casa há três anos. Chegamos e fizemos um trabalho legal. Não só eu, mas toda a comissão técnica. E sem muitas mudanças, só no comportamento. Tive uma situação de livrar do rebaixamento no XV de Piracicaba, mas não é uma proporção igual. A gente sabe que a Portuguesa tem mais cobrança, é time grande.

NETLUSA: Já colocou alguma meta de pontos para fugir do rebaixamento?
Vica: Não pensei nisso e não vou pensar. Temos que fazer um primeiro jogo equilibrado e buscar essa vitória para dar confiança. Depois precisamos dar sequência e buscar outras vitórias. Temos que vencer e encostar no grupo da frente. A classificação é difícil, mas não impossível. Não vim só com o pensamento de escapar do rebaixamento. Não vamos bater muito em cima de rebaixamento. Vamos mudar o discurso. Buscando a classificação, automaticamente a gente foge do rebaixamento.

NETLUSA: O que a torcida da Lusa pode esperar do time do Vica?
Vica: Um time que vai buscar o ataque a todo momento. Um time ofensivo, organizado dentro de campo e que vai buscar a perfeição. Busco isso. Quero um time ofensivo, mas que não se descuide da marcação, que tenha um sistema defensivo forte. Comentei com o Lucas Bahia, que já trabalhou comigo, que a gente não levava gol de bola parada quando ele foi meu jogador. É isso que vamos buscar. De repente podemos jogar com três atacantes, mas sem se descuidar da marcação. O time faz gol, mas também sofre. Vamos tentar dar uma mudada no posicionamento da equipe.