Foto: Reprodução/Facebook

A reunião que aconteceu no Canindé, na última terça-feira, ao contrário do que foi divulgado inicialmente, serviu para tentar afastar o presidente Alexandre Barros do futebol.

O apresentador do programa Paixão Lusa, da Rádio Trianon, Antonio Quintal, corrigiu a informação previamente noticiada e disse que o objetivo não era fazer uma ‘vaquinha’, e sim tirar Barros do comando do futebol rubro-verde.

Entre outros nomes, participaram do encontro Marcelo Carvalho, presidente da Assembleia Geral, e dirigentes conhecidos do clube, como Antonio Carlos Castanheira, Roberto dos Santos, Amilcar Casado, além de um representante da Cruz de Malta.

De acordo com Antonio Quintal, o grupo queria gerir o futebol e deixar Alexandre Barros no comando do clube. O atual mandatário aceitou, mas disse que eles teriam que ser responsáveis pelo pagamento da folha salarial de R$ 350 mil, o que não foi aceito.

Uma hipótese é de que o afastamento do presidente aconteça após a Série A2. No entanto, fontes ligadas ao NETLUSA não acreditam nessa possibilidade.