Foto: Ronaldo Barreto/NETLUSA

O técnico Luiz Carlos Martins considera normal as críticas recebidas pela torcida da Portuguesa na derrota para a Inter de Limeira por 3 a 2, neste domingo, no Canindé. Em entrevista ao NETLUSA, o comandante disse que o torcedor tem o direito de xingar e vaiar.

“Todo mundo ficou chateado. Eu fiquei, vocês ficaram, os torcedores ficaram. O torcedor tem todo o direito de criticar, xingar, vaiar… É um direito deles. Eu, dentro do meu coração, também poderia fazer isso, mas eu sou o comandante e tenho que administrar. A gente não queria perder hoje, mas estamos cinco pontos da classificação. A Portuguesa ainda tem muita chance de buscar a classificação”, afirmou.

Com o resultado, a Lusa caiu para a 13ª colocação, com cinco pontos, um a mais que o São Bernardo, o primeiro time na zona de rebaixamento. Na próxima rodada, a equipe rubro-verde enfrenta o lanterna Penapolense, no próximo domingo, no Canindé.

Confira outros pontos da entrevista:

Análise do jogo

“A gente esperava vencer pelo que fizemos contra o Linense. Quando a gente perde, não é que é duro dar explicação. É que tem certas coisas que o treinador tem que guardar com ele. Se o treinador fosse falar tudo o que pensa, seria muito mais fácil”.

“A gente poderia ter virado o primeiro tempo 1 a 0, mas acabamos levando um gol contra. No intervalo, coloquei o Hudson e fizemos uma linha de quatro. Depois acabamos tomando dois gols contra. Se não tem a expulsão do Cavalo, a gente poderia até ter empatado o jogo. Vou até conversar com ele sobre essa expulsão”.

Risco de demissão

“Não vou conversar muito sobre isso. Futebol você sabe como é. Não estou acostumado com esses resultados. Essa é a realidade. Na primeira carreira é a primeira vez que acontece isso, mas eu como treinador sou tranquilo. Procuro fazer as coisas certas. A gente deixa as coisas acontecerem. Não vou tocar nesse assunto. Sempre quando não tem resultado positivo, logicamente que tem uma cobrança maior em cima do treinador. Mas sou um treinador tranquilo, faço as coisas certas, sou honesto no que faço. Sei que o torcedor fica chateado, e com razão, mas espero, se Deus quiser, que lá na frente, o torcedor vai aplaudir a Portuguesa, porque o time ainda tem muita chance de classificação”.

Momento ruim

“Neste momento não pode bater desespero. Quando acontece o resultado negativo, é logico que tem muitas especulações e perguntas, mas o que posso dizer é que estamos trabalhando profissionalmente como tem que ser feito. Continuo acreditando na Lusa!”.

Pressão no Canindé

“Eu quero jogar do lado da nossa torcida. Quero que venha. A Lusa precisa do torcedor, mais do que nunca”.

Contusão de Gerley

“O Gerley estava com uma dorzinha no início do jogo. Ele é um segundo atacante hoje. A contusão dele atrapalhou, porque eu tinha outra intenção depois. A hora que o Cavalo cansasse, eu colocaria o Matheus Rodrigues ou Naná”.