Marcelo (de preto) com a equipe que foi campeã da Taça Rio-São Paulo neste ano (Foto: Arquivo pessoal)

O técnico de hóquei tradicional da Portuguesa, Marcelo Martins de Albuquerque, rebateu as acusações do presidente Alexandre Barros de que teria locado o espaço do clube. Em entrevista ao NETLUSA, Marcelo, que foi jogador da Lusa, comandou o time feminino e retornou à equipe rubro-verde em 2015, explicou o caso.

“Estávamos tentando voltar com a equipe de hóquei feminino e a confederação brasileira nos pediu que fosse realizado um torneio nacional na quadra da Portuguesa. O João Paulo [Almeida, diretor de hóquei da Lusa] teve uma reunião com o departamento de esportes amadores e solicitou, há três meses, o espaço, só para as meninas fazerem o dérbi (modalidade do hóquei), e o espaço foi cedido”, contou.

Alexandre Barros, em contato com o NETLUSA, disse que optou pela mudança no comando do time por causa de erros cometidos, como o aluguel da quadra sem a anuência da Portuguesa. Albuquerque, no entanto, negou as acusações.

“O time de master foi disputar o Campeonato Sul-Americano e o time adulto foi para o Campeonato Brasileiro, em Recife. Então, os horários que a gente usava para treinar estavam vagos. Com isso, cedemos para a confederação. Ele disse que eu tinha locado o espaço. Isso é um absurdo. Uma mentira. Nada a ver”.

Marcelo Martins revelou ainda que não conta com ajuda financeira do clube para realizar o trabalho no hóquei. “Nós éramos, até domingo passado, o atual campeão brasileiro na categoria profissional. Todas as despesas são pagas por nós. A Portuguesa só cede a quadra. O restante, como as taxas, é custeado por nós, e o valor chega a R$ 100 mil. Fomos campeões brasileiros após 45 anos e não recebi nem um obrigado”, lamentou.

O atual treinador de hóquei tradicional da Lusa contou que não foi procurado pelo mandatário do clube para falar sobre o assunto. “Ele disse que a gente alugou. Ele tem o meu contato, poderia me ligar e perguntar. Eu explicaria exatamente o que estou falando”, afirmou. “Estou lendo no teu site que estou fora. Vou hoje (segunda-feira) ao clube e não sou mais o treinador? É a única mágoa. Não custava a gente se falar, ou quem o representa”, complementou.

Antes de encerrar o papo, Marcelo deixou um recado para a torcida rubro-verde: “Prestigiem os esportes além do futebol, que trazem títulos e visibilidade para a Portuguesa. A Lusa é reconhecida internacionalmente. Agora que se reergueu, a gente não entende muito essa possibilidade (de sair)”, concluiu.

LUSA EM PRIMEIRA MÃO
Clique no sino, do lado direito, e ative as notificações para receber tudo sobre a Portuguesa no seu celular ou computador.