Foto: Divulgação

Cartolas têm sempre uma saída estratégica quando pressionados por conta de maus resultados dentro de campo: “Não é a gente que chuta a bola no gol”. A despeito de ser um argumento raso, que não leva em conta o papel central do presidente no planejamento e gestão de um clube de futebol, que influem muito mais do que um pênalti perdido ou um frango do goleiro, vá lá: é possível dessa forma driblar a responsabilidade direta pelo insucesso. Dirigentes realmente não calçam chuteiras e ganham ou perdem pontos.

No caso da Portuguesa e sua derrocada inédita no futebol mundial, indo da série A para virar um time fora de série, não é bem assim. Nenhum torcedor tem dúvida que o que levou o clube do Canindé ao porão escuro do futebol brasileiro – sem disputar campeonatos nacionais – foi a bola de neve de administrações amadoras e obtusas, que encheram e esvaziaram ônibus com atletas e técnicos, com atrasos salariais recorrentes, desmandos de todo tipo, arrogância e ignorância, numa roleta maluca que, compilada, poderia virar um manual do que não se deve fazer em matéria de administração esportiva.

Mas o que mais choca é que nos sucessivos rebaixamentos houve sim responsabilidade objetiva e direta dos dirigentes da Lusa. Os presidentes e seus diretores fizeram muitos gols contra e influíram diretamente nos resultados finais.
A começar pelo infame Caso Hérverton, no Brasileiro da série A de 2013. Com a escalação irregular do meia-atacante, seja por incompetência ou má fé, a Portuguesa perdeu quatro pontos conquistados dentro de campo. Foi como se os gols de Gilberto contra o Corinthians (4 a 0), em Campo Grande, e de Lauro contra o Flamengo (1 a 1), em Brasília, não tivessem acontecido. Foi determinante e a Lusa foi rebaixada para a série B por um mísero ponto.

No ano seguinte, com a tresloucada saída de campo aos 20 minutos do primeiro tempo na estreia da série B, em Joinville, foi alcançada a proeza de começar um campeonato perdendo de 3 a 0 sem que Glédson tenha sido vazado. Mais importante que isso foi demonstrar que a Portuguesa não estava com a cabeça na competição. O desfecho foi a lanterna e a pior campanha do clube na era dos pontos corridos. O rebaixamento viria com o mesmo placar, em Itápolis, contra o Oeste, numa espécie de profecia auto-realizável.

A Portuguesa entrou em campo na série A-1 de 2015, mas não no seu campo. Não foi novidade a negligência administrativa que fez o time não atuar nenhuma vez sequer no Canindé naquele campeonato. Já tinha acontecido antes, sempre com consequências catastróficas para o desempenho. Quantos pontos poderiam ser conquistados e evitar o terceiro rebaixamento para a Segundona do Paulista? Nunca saberemos se seria possível somar mais três deles se as partidas fossem disputadas em casa, mas é razoável assumir que sim, ainda mais contra adversários com histórico de derrotas no Estádio Oswaldo Teixeira Duarte: Capivariano (1 a 2), Rio Claro (0 a 0), São Bento (2 a 2), Penapolense (1 a 1) e São Bernardo (0 a 0).

Você pode não lembrar, mas a trágica série C de 2015 começou com um jogo sem público. Tudo bem: os dirigentes da época podem compartilhar a responsabilidade com parte da torcida, já que estava sendo cumprida uma punição por causa de uma confusão no mata-mata anterior do torneio contra o Vila Nova. Outro fato que pode ter pesado no placar: a cartolagem do Canindé pediu para transferir um jogo que seria televisionado para todo o Brasil para uma segunda à tarde, sem testemunhas, sem calor, sem se importar. Em tempo, um empate contra o time do Rio de Janeiro não teria culminado com o rebaixamento da Lusa. O Macaé terminou apenas dois pontos na frente.

Já os portões fechados de uma rodada na série D de 2017 foram mortais e os responsáveis são indiscutíveis. Por conta da falta de renovação de um laudo, ou seja, os mesmos erros de planejamento e gestão, a Lusa enfrentou o Vila Nova-MG em casa sem contar com o apoio da torcida. O empate em 0 a 0 teve seu peso na vexatória eliminação na primeira fase. Com mais 2 pontos, a história certamente seria outra.

Cartola pode não fazer gol, mas perde jogo, pontos e vaga no Brasileiro.

Por Luís Alberto Nogueira

9 COMENTÁRIOS

  1. Luis Alberto disse tudo.Incompetência administrativa se arrasta há anos, complexo do Canindé abandonado, salários de funcionários atrasados, caixa 2 na venda de ingressos dentro do estádio para não ter renda penhorada, contratação de jogadores meia boca, escola de base fraca, perda de sócios, etc.
    A Portuguesa nunca teve uma grande torcida, mas o que leva o torcedor ao estádio? Um time forte que disputa para ganhar, time vencedor, isso a Lusa deixou de ser há muito tempo.Esse presidente ainda diz que fez um time competitivo? meu Deus!perder para a Ferroviária em pleno Canindé num jogo importante?Resumindo: time horrível!!!tem que mandar todos embora,só sobra o goleiro e o Queiroz, mais ninguém!Deveria começar agora com novo técnico e montar um time de verdade, não jogadores indicados para fazer nome na Lusa e serem negociados. Começar o campeonato com o time pronto!Agora, o que fazer depois do A2? Vergonha!!!

  2. O responsável pela atual situação de falência é o ladrão Filho da Lupa e os conselheiros asseclas que deixaram ele ser presidente por 9 anos, vendeu a vaga da serie A em 2013, o empréstimo do Banif onde o dinheiro era depositado na sua conta e na do Yaúca é uma vergonha, ninguém fez auditoria nas contas até agora.
    O Ilídio lixo, o bunda mole que renunciou e o Zé Luis xarope são fracos e incompetentes, nem deveriam assumir, sem parceria acabou, só falta fechar o caixão.

  3. Vamos lá, vamos ter que começar do zero,está na hora de competência e honestidade só isso para voltarmos a brilhar quero ver a lusa forte outra vez

  4. é começar do zero mesmo., tomara que tenha alguns garotos da base,
    mais uns 10 que ficam.
    contrata uns 10 ……baciada de novo., time novo para A2, já ao final do ano muito pouco se aproveita de um time, e não foram poucos jogos.
    tomara que dê certo, mas é sempre a mesma história, os times que montam é tão ruim, que ao final das competições poucos tem condições de permanecer., os melhorzinho vão embora logo.
    o problema são as contratações que acertam muito pouco ou quase nada.
    não foge disto não, caminho sempre difícil para a LUSA.

  5. Pessoal, voces viram quem ganhou a Serie A na quarta – feira? Não preciso dizer. Pergunta, vocês acham que a nossa Lusa um dia ainda possa ganhar algo importante neste pais ? Nem estou falando a Serie A?

    Ja nos anos 70 era tao didicil torcer para a Portuguesa pois era muito difícil chegar proximo dos grandes. Mas sempre fomos competitivos mesmo sendo o menor dos grandes de Sao Paulo.

    Hoje então, com toda a situação econômica e política que vivemos neste pais, as coisas chegaram no fundo do posso para a nossa Lusa. E outros clubes também.

    Entao pessoal eu juro que não entendo porque não fechar as portas. Tudo nessa vida acaba, inclusive as nossas próprias vidas mais cedo ou mais tarde. O futebol brasileiro deveria fechar muitos dos clubes que não teem condições de existir como Juventus, Noroeste, Comercial, Portuguesa, etc. etc.

    O que ja era quase impossível nos anos 70, 80, 90 etc ficou ainda pior nos dias de hoje. Eu acho que o futebol brasileiro precisa de uma reforma. Precisa de uma limpeza. Não tem torcida, não tem grana, fecha os estádios.

    Que se dane a nossa historia. Que se dane o nosso orgulho de sermos Portugueses. Tradição, etc Isso tudo ja era. Conversa para Ingles ver. Falta de aceitarmos a realidade. Parem. O meu pais de 89 anos me diz todas as semana “Podem colocar 50 Portuguesas neste Brasil que nenhuma ira vingar. ”

    Vocês tambem pensam que um dia a nossa Lusa ainda tem chances de ganhar uma Serie A? Nunca aconteceu (chegamos perto em 96) mas isso nunca mais acontecera. Por favor. Reforma do futebol Brasileiro ja. Fechem as portas desses clubes incluindo a Portuguesa. Para que passar tanta vergonha.

    Diminuindo o numero de clubes em todo o pais ira melhorar muito a qualidade dos jogadores, dos times que ainda podem entrar num campeonato serio, e a qualidade do jogo também. Reforma ja.

    • Edelson, fui, sou e sempre serei lusa. Mas a gente cansa da mesmisse cara….Mas segue com a sua opinião que eu sigo com a minha….Eu não sou o único que perdeu as esperanças com esse clube….As arquibancadas mostram….

  6. Tudo foi premeditado !!! Jogador suspenso e ninguém sabe ? Cadê o jurídico ? Ninguém da comissão técnica sabia ? Jogador não acompanha seu caso ? O mais absurdo é que nada, nada mesmo, foi apurado. Joga na imprensa que foi um erro do jurídico que não passou à comissão técnica !!! O crime foi feito !!! Nos fizeram de TROUXAS… Isso foi o maior escândalo do futebol brasileiro, foi noticiado em diversos jornais mundo afora, e nada foi feito. E se fosse no Flamengo, no Grêmio ou no Corinthians a mesma situação ? Com certeza os culpados estariam na cadeia, pois tenho a absoluta certeza que ninguém engole esse erro, justamente coincidindo quando outro time estava sendo rebaixado. Uma
    Associação (Portuguesa) não pode ser responsabilizada e prejudicada pelo CRIME cometido por uma pessoa (física).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here