“Se pudesse, voltaria atrás”, garante Gallo, sobre saída em 2005

Ex-técnico da Portuguesa se mostra arrependido por ter aceito a proposta do Santos

Camisa 8 da Portuguesa no vice-campeonato brasileiro em 1996, Alexandre Gallo foi do céu ao inferno em 2005. Antes idolatrado pela torcida, o ex-volante tornou-se um vilão ao trocar a Lusa pelo Santos, durante o Campeonato Paulista daquele ano. Desde então, todas as vezes que retornou ao Canindé como técnico adversário, Gallo foi hostilizado pela torcida rubro-verde. Em entrevista ao livro ‘Para nós és sempre o time campeão’, de André Carlos Zorzi, o treinador se mostra arrependido por ter deixado a Lusa ‘na mão’, diz que voltaria atrás se pudesse e garante vontade de voltar a trabalhar no clube.

Contratado durante o Paulistão de 2005, Gallo comandou a Lusa em sete jogos e conquistou 11 pontos. Ele foi contratado após o início ruim de Zé Teodoro, que teve apenas dois pontos em seis partidas. “Quando tirei a Portuguesa da zona de rebaixamento, o Marcelo Teixeira me ligou e falou: ‘Ó, o Osvaldo saiu. Quero que você venha disputar a Libertadores como treinador’”, contou. “Se a gente pudesse voltar atrás na vida, mudaríamos muita coisa. Essa seria uma das coisas que eu mudaria”, garantiu.

O treinador admite que a troca foi um erro e que se arrepende. Mais, Galo ressalta que, se pudesse, voltaria atrás em sua escolha. “Infelizmente ficou esse ranço da torcida em relação à minha saída. Se existe um momento pertinente, talvez seja o seu livro, para dizer a eles que, para mim, também foi um aprendizado, e que se eu pudesse voltar atrás, eu voltaria. Lamento isso, porque realmente foi uma inexperiência da minha parte”. “Todas as vezes que eu ia jogar no Canindé com outros clubes, parte da torcida era agressiva comigo”.

“Sem dúvida é um arrependimento que eu tenho. Hoje, com a cabeça que tenho, não faria isso. Continuaria na Portuguesa, porque o trabalho estava andando muito bem. Mas eu era um jovem treinador em 2005, tinha uns 38 anos, e quando a gente é jovem, em qualquer profissão, quer crescer o mais rápido possível. Depois, com as pancadas, as cicatrizes vão ficando em você, e você vai aprendendo. Foi uma saída abrupta, que o pessoal da Portuguesa me cobra até hoje. Uma falta de experiência que eu tive na época, com a ambição de disputar uma Libertadores”, complementou.

Questionado sobre uma vontade de retornar à Lusa novamente como técnico, Gallo foi taxativo: “Com certeza! Acho que as pessoas que trabalham na Portuguesa e me conhecem sabem o tanto que eu adoro o clube, o tanto que foi importante pra mim. Gosto muito de lá”, afirmou.

Por fim, Alexandre Gallo torce por uma reviravolta da Lusa e se coloca à disposição para o que for preciso. “Torço muito para que a Portuguesa possa voltar aos seus momentos áureos. O clube, quando joguei lá, em 96, era um dos grandes do futebol brasileiro em tudo: organização, pagamento, cumpria o combinado… Era realmente muito bom de se trabalhar. Lamento muito tudo isso que está acontecendo com o clube. Se um dia puder fazer alguma coisa para ajudar, vou estar sempre à disposição para dar a minha parcela de contribuição, porque a Portuguesa foi um momento muito importante na minha carreira”, concluiu.

FAÇA AGORA
Ative as notificações do NetLusa, receba alerta de gols e todas as notícias do portal e fique por dentro de tudo o que acontece na Portuguesa. Clique AQUI e saiba mais!

16 COMENTÁRIOS

  1. Existe um pedaço da entrevista muito interessante, “O clube, quando joguei lá, em 96, era um dos grandes do futebol brasileiro em tudo: organização, pagamento, cumpria o combinado…”…..
    Hoje não temos organização, não pagamos e não cumprimos o combinado,… e isso a muito tempo.

  2. Engraçado que falam que querem ajudar mas na hora de ir lá se oferecer pra ser treinador ou qualquer outra coisa lá não vai né. Falam muito e pouco fazem. De boa intenção o inferno está cheio.

  3. Isso são aguas passadas e aguas passadas vão parar no mar.
    A realidade é agora, e o treinador é MF.
    Pergunte a ele se ganharia o mesmo q MF ganha p/ treinar a Lusa na Copa Paulsta?
    Td mundo é bom + o meu sapato ou melhor o sapato da Lusa tá apertado.
    É o tipo da reportagem q nem cheira e nem fede.
    Vamo pra frente Lusa.

  4. O RODRIGO SANTANA QUE SURGIU NO INICIO DO ANO COMO UM DOS NOMES A SER TÉCNICO DA PORTUGUESA ESTÁ FAZENDO UMA EXCELENTE CAMPANHA COM A URT NA SERIE DE .

  5. Gallo se pudesse voltar atrás vc deveria estar marcando o Paulo Nunes no 1º gol do Grêmio, isso serve para o idolatrado Capitão, que, aliás, no 2º gol virou a bunda e saiu da trajetória da bola, se fica parado éramos campeões!!! Mas o velho e competente Capitão tem crédito, o Gallo é um mercenário filho de uma puta!!!

  6. Eu não falei na reportagem do jorginho que quando estão na merda lembram da portuguesa que o gallo lembre que alem de sair ainda levou um zagueiro revelação da lusa que nem me lembro do nome por isso ele também se arrepende ou não mais um que a hora que se levantar esquece que a lusa existe traira que não deu certo em lugar nenhum agora vem com chorinho

  7. Gostei do cara que fez um comentário quando o Neymar afirmou que não ia para o PSG por dinheiro e sim pelo dasafio. O cara disse se realmente ele queria desafio tinha que ir para a portuguesa. kkkk

  8. Gallo, obrigado pelas palavras de declaração de amor pela Portuguesa, mas devo lembrá-lo que quando teve a oportunidade de mostrar na prática esse nobre sentimento nos abandonou no meio de um campeonato, jogando no lixo todo o planejamento elaborado por você e o novo treinador teve a obrigação de “trocar o pneu com o carro em movimento”. Não quero ser injusto pois posso estar equivocado, mas você, salvo engano, saiu e levou junto o zagueiro Altair, um dos principais jogadores daquele elenco.
    Agora, depois de tanto insucesso nessa carreira, vê a Portuguesa, mesmo vivendo esse interminável pesadelo, como uma alavanca para o desenvolvimento do seu trabalho.
    Mais uma vez, obrigado, mas é amor demais.

  9. Nos largou no caminho como já fizeram também Poy (atendeu ao “apelo” do São Paulo) e o Pépe (Santos, outra vez) anteriormente. Não esquecemos quem nos “apunhala” pelas costas.

    • Também lembro essa do Pepe; fiquei muito irritado na época. Engraçado que o Edinho Nazareth, em 1997, com o time liderando o Brasileiro e voando baixo, foi convencido pela Portuguesa a declinar uma oferta imoral do SPFC. O problema é que ficou tão abalado com a situação que perdeu o comando e o time desandou. Acabou demitido no fim da fase de classificação e acabamos deixando o campeonato escapar com o então já defasado Carlos Alberto Silva.

  10. O Gallo não passa de um traira, eu não o perdoou até hoje, lembro muito bem estava comandando o time corretamente, fazendo uma bela campanha recuperando a equipe, até que chegou uma proposta do Santos e ele saiu correndo, o Brasil inteiro sabia que ele seria um técnico tampão até a chegada do Luxemburgo só ele que não sabia. Torço contra ele aonde ele tiver , não tem feito sucesso em lugar nenhum por onde passa. Na seleção brasileira na base foi uma lastima, tem bons contatos mas não é um cara competente. Voce está pagando o que colheu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here